Comprovação de renda para o visto australiano de estudante


O que muda nos casos de declaração e comprovação de renda para o visto australiano de estudante a partir de 1º de julho

Recentemente divulgamos que o Governo da Austrália confirmou as mudanças no visto australiano de estudante, que entrarão em vigor a partir do dia 1° de julho. Entre as novidades, o algoritmo de cruzamento e dados que, entre outras avaliações, pode proceder com a exigência da comprovação de renda para o visto australiano de estudante  para alguns perfis de pessoas que pretendem estudar no país.

Vale mencionar que o que está em vigência para o visto australiano de estudante é declarar a renda suficiente para custear os estudos e se manter no país por 1 ano ou pelos meses de curso no país, isso acontece via formulário oficial.

 

O que muda a partir de 1° de julho na comprovação de renda para o visto australiano de estudante?

O que vai determinar se o estudante precisará comprovar a renda via documentação é a avaliação do sistema de solicitação de visto australiano que ,após o cruzamento de dados, sinalizará a necessidade da apresentação de documentos comprobatórios.

Como é feito esse cruzamento de dados?

Os principais dados utilizados nesse cruzamento são:

  • O nível de risco do país – Envolve o histórico dos brasileiros na Austrália, sob quais condições eles vão ao país e permanecem por lá
  • O nível de risco da escola –  Envolve a qualificação da instituição quanto ao desempenho, a forma que ela contribui para a permanência do estudante na Austrália e a própria relação do aluno com a escola. Essa nota não é, e a princípio não será, divulgada pelo Governo e as avaliações são atualizadas a cada 6 meses.

 

Preciso comprovar a renda mesmo com a intenção de trabalhar na Austrália?

Sim. E essa regra é inquestionável. Com a permissão de trabalho em mãos, o que o estudante tem condições de fazer é trabalhar por até 40 horas a cada duas semanas (14 dias), no regime fortnight (uma espécie de partime), que é vantajoso por ser flexível quanto à carga horária a cumprir por dia e por semana até o fechamento da “cota” nos 14 dias corridos.

Se para o estudante esse trabalho representará uma forma de renda durante a estadia na Austrália, para o Governo, ele não tem caráter de comprovação de renda para o visto australiano de estudante, mas sim de experiência no país e melhor aproveitamento na prática do idioma. Por essa razão, a remuneração vinda desse trabalho não serve como comprovação para aplicação do visto.

 

O que mais mudou na comprovação de renda para o visto australiano de estudante?

O valor exigido para comprovação de renda para o visto australiano de estudante aumentou. Para os estudantes que vão bancar a viagem sozinhos, com a renda de cônjuges ou de parentes, devem seguir os valores:

Estudante: AUD 19.830,00 (anual);  AUD 1.652,50 (mensal)

Cônjuge: AUD 6.940,00 (anual); AUD 578,33 (mensal)

Filhos: AUD 2.970,00 (anual); AUD 247,50 (mensal)

Crianças em idade escolar: AUD 8.000,00 (anual); AUD 666,66 (mensal)

Sobretaxa por aéreo não comprovado:                AUD 1.500,00 (por pessoa)

 

Posso contar com patrocinador ou custeador para meu intercâmbio na Austrália?

Sim. Essa é uma mudança das mais importantes e significativas no visto australiano de estudante.

Se a comprovação de acesso à renda anual por meio de documentação fica restrita aos pais e cônjuges, a renda disponível, que seria como um arrolamento de terceiros sobre seus recursos financeiros para viagem, funciona de forma diferente. Ela permite a declaração de uma pessoa que se mostre comprometida com os custos da sua viagem.

Outra maneira de comprovar a renda a partir de 1° de julho é por meio do acesso à renda anual, onde os valores somados devem corresponder a:

AUD 60.000,00: Com renda do estudante

AUD 70.000,00: Com renda dos pais, familiares diretos ou cônjuges

 

Quais os documentos válidos para comprovar renda para o visto australiano de estudante?

Declaração de Imposto de renda completo, últimos 3 holerites, extratos de contas (corrente e poupança) e comprovação de investimentos. Nesse último quesito é importante que fique claro que se entende como investimento os de renda fixa, como CDB’s e LCI’s… Previdência privada, ações e investimentos semelhantes não podem ser usados como comprovação para o visto australiano de estudante.

As mudanças de valores necessários para comprovação financeira, como acontecerá a partir de 1º de julho, estão sujeitas às alterações de câmbio – que normalmente ocorre a cada 6 meses – e entram no cálculo para a solicitação de visto. Quem regula essas mudanças é o Governo da Austrália e novas informações devem surgir até julho.

Independente do que pode acontecer até lá, para quem quer solicitar já o visto australiano de estudante ou vai esperar até as novidades estarem valendo, contar com a ajuda de um profissional que saiba a melhor maneira de conduzir a solicitação do seu visto de acordo com seu caso é muito importante. Se por um lado o Governo quer promover a entrada de estudantes internacionais na Austrália, com essas mudanças, o estudante precisa estar alerta quanto aos planos futuros no país para não correr o risco de perder direitos à renovação ou mudança de status de visto australiano.

Caso queira mais informações ou tenha alguma dúvida, entre em contato conosco.

 

Saiba mais +:

Como Solicitar Visto de Turismo para a Austrália – Passo-a-Passo

Quero estudar mais do que 3 meses na Austrália, informações sobre Visto de Estudante

Veja nossa área de perguntas frequentes também

 

 

Autor: Alexandre Luis Pedrosa – Especialista em Vistos e Educação!

Fale com o autor: alexandre@vistoaustraliano.com.br